Causa Filosofica

Name:
Location: Portugal

Saturday, August 12, 2006

ISRAEL VIOLA RESOLUÇÃO 1701 DA ONU

bigimg35808.jpg



SÍMBOLO DA BRIGADA ASSASSINA GOLANI



ground-invasion-12aug483.jpg



JÁ NÃO É DE ESTRANHAR,MAIS UMA VEZ UMA RESOLUÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS
ACABADA DA NASCER É VIOLADA PELO GLORIOSO EXÉRCITO HEBRAICO(HERÉTICO).
O exército israelita entrou em força no Líbano, horas depois da aprovação por unanimidade de uma resolução do Conselho de Segurança que apelava à cessação das hostilidades. A aviação israelita precedeu esta ofensiva militar dos maiores bombardeamentos desde o início do conflito. “Conforme à decisão tomada na quarta-feira pelo gabinete de segurança, o exército israelita lançou uma operação terrestre no sul do Líbano que se deve estender até o rio Litani”, afirmou o porta-voz do exército.O governo israelita esclareceu as suas intenções: a operação visa “neutralizar as capacidades do Hezbollah de atirar rockets e mísseis sobre o norte de Israel não é limitada no tempo”, garantiu Avi Pazner porta-voz do governo israelita.
Apesar da resolução da ONU que proíbe expressamente acções ofensivas, o governo de Israel confirma que vai continuar esta operação durante semanas. Recorde-se que o desrespeito por resoluções da ONU não é novo por parte de Israel que consegue ter o duvidoso recorde de ser o país que mais vezes não cumpriu as resoluções da comunidade internacional. Situação que só é possível devido a cumplicidade dos Estados Unidos que evitam que sejam tomadas medidas que sancionem estes desrespeitos ao Conselho de Segurança.
Horas antes do desta operação militar que emprega mais de 30 000 soldados e que pretende ocupar uma faixa de 30 quilómetros de profundidade do Líbano, podendo ir “para além do rio Litani”, segundo confirmou o general israelita Alon Friedman, chefe de operações da região militar norte, o Conselho de Segurança apelou à cessação imediata de todas as operações militares ofensivas e ataques a Israel.
O primeiro ministro israelita, Ehud Olmert, apesar de apressar-se a não cumprir o estipulado, deu o seu acordo prévio a esse texto.
A resolução, que vai ser analisada hoje pelo governo libanês, prevê que o exército libanês e a Força da Interposição das Nações Unidas no Líbano (FINUL), que passará de 2000 para 15 000 homens, com um mandato reforçado, sejam colocados no sul do Líbano e que Israel retire as suas tropas desta região.
A resolução é uma tentativa de resolver um conflito que matou mais de 1100 libaneses, a esmagadora maioria civis e fez fugir das suas casas um terço da população libanesa. Do lado israelita, 38 civis e 82 militares morreram.



Sunday, August 06, 2006

STOP THE WAR

Friday, August 04, 2006

EVE OF DESTRUCTION

SOBRE OS MASSACRES IN LEBANON

Thursday, August 03, 2006

LÍBANO - CÃES RAIVOSOS ASSOLAM O LÍBANO













"Creio que é importante não cairmos aqui na armadilha da equivalência moral. O que o Hezbola fez foi sequestrar soldados israelenses e disparar mísseis e projécteis de morteiros sobre civis israelenses. O que Israel fez foi responder actuando em defesa própria", (embaixador estadunidense perante as Nações Unidas, John Bolton)


O Kristalnacht, o assalto nazi de 1939 às casas de judeus em 'represália' pelo assassínio de um funcionário da embaixada alemã por um judeu, foi uma festa de jardim em comparação com a actual destruição do Líbano pelo exército israelense. A 'represália' nazi levou ao assassínio de vários judeus e danos no valor de milhões de dólares. A quota de assassínio e a destruição de Israel inclui actualmente mais de 400 civis libaneses mortos, milhares de feridos, 750 mil (alguns afirmam que 900 mil) refugiados, a destruição de centenas de edifícios de apartamentos, de milhares de casas, escolas, fábricas, aquedutos, estações de tratamento de água e de potabilização, igrejas e mesquitas, estações de rádio e televisão, todas as principais pontes e estradas do país, os aeroportos e portos — de facto, qualquer coisa e qualquer pessoa que estivesse em pé, que se escondesse ou fugisse para salvar-se. O deliberado 'bloqueio total' de Israel, além do seu bombardeamento maciço, provocou uma catástrofe humanitária para dois milhões e meio de libaneses, incluindo os 750 mil refugiados. Segundo o Financial Times "a situação humanitária foi agravada pelo bloqueio israelense por terra e por mar, e os ataques a pontes e estradas que dificultam a distribuição de ajuda, tanto aos refugiados como àqueles que ficaram para trás", ( Financial Times 25/Julho/2006, p.3). Os refugiados falam de bombardeamentos israelenses diários, falta de água e comida, apagões e cortes nas linhas telefónicas. Ainda mais sinistro, muitos refugiados afirmam "que primeiro Israel lhes disse que se fossem só para serem atacados por um bombardeamento israelense quando já estavam na estrada a fim de se salvarem" ( Financial Times, ibid.)

por James Petras

Sunday, July 30, 2006

MASSACRE EM CANAA


Mais uma vez o sionismo mostrou que também é capaz de igualar o nazismo.
Na violação dos direitos internacionais e no constante terrorismo de Estado.
Hoje uma vez mais os heróis da aviação sionista mostraram ao mundo a sua
eficiência assasina ao matarem mais de trinta crianças e outras tantas mulheres
nas suas casas,com a justificação de servirem como escudos humanos.
É este o conceito de democracia que a sua constituição mostra ao Mundo.
Hoje também sou libanês...